06 dezembro 2007

Da Dama de Espadas ao Rei de Ouros - Quem dá as cartas?


A discussão a respeito da participação do indivíduo na sociedade vem de tempos longínquos, apesar de se fazer cada vez mais importante nos dias atuais. Desde o surgimento das comunidades, o homem se questiona a respeito do papel que deve exercer no meio em que está inserido e, principalmente, o que pode fazer para mudá-lo.
É inegável que o ambiente influencia o comportamento humano, conforme preconizara Jean-Jacques Rousseau. Contudo, a vontade do homem de torná-lo mais favorável a seus anseios foi responsável por drásticas modificações nos âmbitos espaciais, sociais e culturais do gênero humano - tanto positiva quanto negativamente.
Da mesma forma como assistimos à ascensão de regimes fascistas e totalitários, presenciamos o emergir de movimentos pacificadores através de líderes como Gandhi e Martin Luther King. Desde Jesus Cristo até Adolf Hitler, houve pessoas capazes de modificar o mundo em sua totalidade, agregando para sua causa um número elevado de pessoas.
Para isto, no entanto, é necessário liderança e determinação, além de uma boa dose de inteligência. Reunindo estes fatores, não há objetivo incapaz de ser alcançado ou barreiras intransponíveis, considerando-se as inexoráveis limitações humanas e reconhecendo a inerente passividade ao erro, que a todos acomete.
Desta forma, modificar o ambiente não é objeto da utopia, e sim, uma meta à qual inúmeras mentes sempre visaram - e continuarão a visar, num complexo jogo de cartas que se estende por toda a História da humanidade.
Você está pronto para ser o Curinga?

Nenhum comentário: